Branding para restaurantes: 4 formas de fazer do jeito certo

Branding para restaurantes


Normalmente, os empreendimentos do setor gastronômico limitam as suas ações de marketing a divulgações e promoções. Entretanto, é essencial entender como fazer um bom branding para restaurantes. Afinal, esse tipo de estratégia traz resultados muito mais duradouros do que apenas campanhas de divulgação normais.

O trabalho de branding para restaurantes é importante pois afeta diretamente a tomada de decisões dos consumidores. Muitos empreendedores ainda acreditam que basta oferecer descontos ou promoções para conseguir um cliente no segmento gastronômico, mas o fato é que 69% dos consumidores nacionais leva o posicionamento das empresas em questão na hora de fazer uma decisão de compra.

Quer saber como trabalhar o branding para restaurantes? Então siga a leitura do nosso artigo abaixo e veja as nossas dicas sobre o assunto!

1. Pense na sua marca como se ela fosse uma pessoa

O principal mecanismo para poder trabalhar o branding para restaurantes (e outras empresas também) é pensar na sua marca como se ela fosse uma pessoa. Pode até ser interessante pedir para que um designer desenhe a versão “humana” da sua marca, como a Magazine Luiza faz com a Lu.

O objetivo é tornar mais fácil explicar o que você quer para a marca do seu restaurante, além de entender como se posicionar, que tipo de identidade visual usar e muito mais.

Por exemplo, imagine que seu objetivo seja fazer um restaurante com temática de video-games. Você comprou alguns aparelhos e espalhou nas mesas para que os visitantes possam jogar enquanto esperam a comida.

Esse restaurante pode ter diversos tipos de branding possíveis. Podemos imaginar a marca como um homem de meia idade, divertido e engraçado, um pouquinho acima do peso e que gosta de colecionar objetos nerds, bem como fazer cosplay.

Ao mesmo tempo, podemos imaginá-lo como um jovem ao redor dos 20 anos, um pouco hiperativo, que adora jogar video-game e estudar sobre programação. Talvez ele não goste tanto de ir até o restaurante, mas pode pedir lanches pelo Rappi Restaurantes. São pessoas diferentes, com visões de mundo diferentes, mas que se unem em desejos semelhantes.

2. Trabalhe o visual no branding para restaurantes

Depois de tentar definir quem é a sua marca, é hora de planejar o visual dela. Por isso, é importante trabalhar a identidade visual do seu restaurante de modo a atingir três objetivos diferentes:

     comunicar quem é aquela marca;

     despertar desejo no consumidor;

     aproximar o restaurante dos potenciais clientes.

Esse é um trabalho que deve ser feito por um profissional da área especializado em branding, pois é muito fácil ter certos pressupostos que se provam errados. Por exemplo, a psicologia das cores afirma que o vermelho e o amarelo são tons quentes que, em conjunto, despertam o apetite. É por isso que grandes redes de lanchonetes, como o McDonald’s, usam essas cores.

No entanto, nem todo restaurante precisa ser assim. Se você tiver um restaurante vegano, por exemplo, deve usar tons mais frescos, como o verde e o branco. Tudo vai depender do que você quer transmitir para os seus clientes.

3. Não se esquive de posicionar-se sobre certos temas

Se vermos uma marca como uma pessoa, então é importante que ela tenha opiniões. Afinal, toda pessoa costuma ter crenças, pensamentos próprios e opiniões sobre certos temas.

Não é à toa, por exemplo, que empresas como a Natura se posicionam a favor da causa LGBTQ+. Faz parte do branding delas. Não só elas, aliás, mas muitas empresas também apoiam essa causa.

Existem muitas outras causas sociais e temas que são de vital importância para as pessoas na sociedade e, portanto, podem ser interessantes para posicionar a sua empresa. Lembrou que 7 em cada 10 brasileiros tomam a sua decisão de compra com base no posicionamento das empresas? Então, é importante não se esquivar desse posicionamento.

4. Não tenha medo de tomar decisões para a sua empresa

Na hora de trabalhar o branding para restaurantes, será necessário tomar decisões. Elas podem ser de cores, logo, perfil de marca, posicionamento sobre temas e muito mais.

Por mais assustador que seja tomar decisões sobre alguns temas ou sobre algumas coisas (por exemplo, as cores da sua identidade visual) é importante que você não se esquive de tomar essas decisões. Afinal, sem esse processo ficará difícil avançar no branding para restaurantes.

É por isso que você precisa estudar muito sobre o assunto, discutir bastante com seus sócios que tipo de perfil terá a sua marca e ter uma visão clara do que você quer comunicar. Quando tiver essa visão, conseguirá tomar as decisões mais facilmente, pois elas virão naturalmente para você.

Pronto, agora você já tem um conhecimento mais avançado sobre como fazer o branding para restaurantes. Deu para ver que não se trata apenas de trabalhar a identidade visual da sua empresa, mas sim de avançar na criação de uma marca que gerará conexões emocionais com os potenciais clientes, não é mesmo?

Se você gostou do conteúdo, então comente abaixo com a sua opinião!