Retinol: saiba mais sobre a substância benéfica para a pele

Ácido tem propriedades capazes de promover a regeneração celular. Tire as suas principais dúvidas sobre esse ativo.

Retinol

Um dos ativos mais populares do momento na indústria de cosméticos é o retinol, um micronutriente derivado da vitamina A. Ele já é utilizado na dermatologia há algum tempo, por seus inúmeros benefícios para a pele. No entanto, apesar de ser um cosmético saudável, muita gente ainda sabe pouco sobre ele.

Apesar de fazer parte da composição de muitos produtos disponíveis no mercado, o que não faltam são dúvidas sobre o retinol. Ele promete promover a renovação celular, deixando sua pele com aspecto mais jovem, menos rugas, clareamento de marcas, além de mais firmeza e luminosidade. Como? Entenda a seguir.

O que é o retinol?


O retinol é um micronutriente ácido, derivado da vitamina A e pertencente ao grupo das vitaminas lipossolúveis. Ele pode ser natural ou sintético e age no DNA das nossas células, aumentando a produção de colágeno e elastina, duas substâncias fundamentais para uma pele saudável e bonita.

Para que ele é indicado?


O retinol é indicado para vários tratamentos de pele. Além dos famosos efeitos anti-envelhecimento, ele pode ajudar a regular a oleosidade, sendo importante também no tratamento contra cravos e espinhas. Também pode fazer parte da composição de esfoliantes, pois favorece esse processo.

Isso sem falar que o retinol atua diretamente na textura da pele, contribuindo também para a uniformização e o tom da mesma. Ele ajuda ainda a reduzir os poros e a deixar o rosto com mais viço e brilho.

Pode ser usado a partir de que idade?


O mais comum é que ele seja indicado para peles mais maduras, porque atua amenizando rugas, manchas e outros efeitos do tempo. No entanto, não há contraindicações em pessoas mais novas utilizando o retinol, o que pode ter efeito preventivo.

Ele deixa a pele sensível ou ressecada?


Apesar de todos os benefícios, precisamos lembrar que o retinol é um ácido e, por isso, pode potencializar a desidratação, causando ressecamento da pele. Para evitar isso, a hidratação deve ser reforçada durante o tratamento que, inclusive, deve ser acompanhado por um profissional.

Também não é incomum ouvir relatos de que a pele fica mais sensível, especialmente nos primeiros dias de uso. Vermelhidão, sensação de repuxamento e irritação podem ocorrer, o que geralmente é resolvido utilizando o retinol em dias alternados. Caso esses sintomas persistam, seu dermatologista deve ser avisado.

Existe alguma contraindicação?


O retinol é bem tolerado por quase todas as pessoas, mas algumas podem ter hipersensibilidade a esse ativo e, nesses casos, devem descontinuar o uso de produtos com essa base. Gestantes também não devem utilizar retinol.

Devo usar todos os dias?


As recomendações de uso vão depender da adaptação da sua pele ao ativo e das recomendações do dermatologista. Em geral, o ideal é começar com noites alternadas e, após a adaptação, passar para uma frequência diária.
 

Quais cuidados preciso ter?


Como todo tratamento dermatológico, é importante ler as indicações do rótulo e seguir as orientações de um profissional. É indispensável reforçar a hidratação e usar protetor solar, pois o retinol pode aumentar a sensibilidade da sua pele aos raios ultravioletas.

O ideal é aplicar esse tipo de produto à noite, quando você não vai mais sair de casa. Também é importante higienizar bem o rosto pela manhã.

O retinol pode ser usado por quem tem pele negra?


O retinol pode influenciar no tom da sua pele, dando mais luminosidade e uniformidade. Mas isso não quer dizer que ele vai clarear as peles negras e não há nenhuma contraindicação sobre o seu uso em quem tem esse fenótipo.