História da cama: você sabe como este móvel surgiu?

Da pré-história aos dias atuais, descubra como as camas eram. 

Ao pensar em dormir, imediatamente, você visualiza sua cama, com um colchão confortável e pronto para te receber. No entanto, as camas antigas nem sempre foram como as que conhecemos atualmente.

História da cama

A busca pelo conforto foi o que motivou o homem a pensar em um móvel que o ajudasse a dormir melhor. Ainda assim, folhas secas e palha foram os primeiros registros da cama feita pelo homem ainda na pré-história.

O lençol de elástico para cama é um item recente, com o objetivo de aumentar o conforto e proteger o colchão. Antigamente, tudo era diferente, e o próprio colchão poderia ser um simples monte de palha.

Quer conhecer mais sobre como a cama surgiu? Então, continue a leitura. 

Camas na pré-história


Desde a pré-história, o homem precisava de um local para dormir e proteger-se de animais. Estudos mostram a existência de objetos que podem ser chamados de “pré-camas”, pois o homem da idade da pedra costumava juntar folhas ou palha para deitar em cima.

Neste período, o objetivo não era o conforto, mas descansar após um dia de caças e fugas de animais. Até uma pedra poderia ser usada para algumas horas de sono — eram os primeiros indícios de que houve a tentativa de criar uma cama. 

Surgimento das primeiras camas no Egito Antigo


Os primeiros registros de móveis que se assemelhavam às camas vêm do Egito Antigo. Eles eram dobráveis, feitos de madeira, com uma parte semelhante a uma cabeceira. Não eram confortáveis, mas sinônimo de exclusividade.

Apesar de bastante simples, eram um artigo de luxo dedicado para os faraós. Ainda assim, mesmo no Egito, a mobília sofreu alteração, tornando-se alta e exigindo uso de escada para quem fosse deitar. 

Romanos e camas com mesas


Os romanos também viam a cama como um artigo de luxo, tanto que somente os mais ricos e poderosos tinham acesso ao móvel. Eles aprimoraram os modelos feitos pelos egípcios, agregando uma mesa ao redor.

A ideia era que o proprietário da cama pudesse realizar suas refeições ali mesmo, por isso a mobília era sinônimo de privilégio e exclusividade. 

Quartos e dosséis na Idade Média


No Egito e em Roma, as camas não ficavam localizadas nos quartos: eram apenas objetos que proporcionavam prazer e exibiam o luxo daqueles que pertenciam às classes sociais mais altas.

Foi na Idade Média que a cama passou a aparecer nos quartos, ou seja, o móvel ganhou um local específico. O dossel tinha o objetivo de proteger do frio e era feito em tapeçaria, assim como outras peças, como lençóis e colchas. Ainda era um artigo de luxo voltado para os mais ricos. 

Produção em massa após Revolução Industrial


Foi após a Revolução Industrial que as camas perderam a pompa e passaram a ser produzidas em massa, em versões mais simples. Os dosséis foram deixados de lado, pois foram perdendo a função.

Além disso, os modelos eram feitos com materiais mais simples e ficaram menores, para que pudessem atender às classes sociais mais baixas, que viviam em locais pequenos. A armação de ferro, por exemplo, surgiu nesse período. 

Cama como conhecemos hoje


Conforme os anos foram passando, principalmente após a Revolução Industrial, a cama sofreu diversas alterações. Surgiram os modelos de madeira e ferro, em seguida, mais recentemente, as famosas camas box, que conquistaram tantos adeptos. 

Você imagina que houvesse uma história tão interessante por trás desse móvel que, hoje, é tão normal em nossas casas? Ainda bem que, agora, o conforto é o principal objetivo da cama, e ela não é mais exclusiva a um determinado grupo de pessoas.