Construção de Ferrovia em Mato Grosso vai impactar 27 municípios

A obra ferroviária será responsável por interligar Rondonópolis com Nova Mutum e Cuiabá, também conectando o estado com a malha ferroviária nacional

Construção de Ferrovia em Mato Grosso

Segundo as últimas noticiais, representantes do Departamento de Produção do Estado de Mato Grosso comemoram o anúncio da construção da primeira ferrovia nacional na última segunda-feira (19.07), e lembrou que essa obra foi uma luta por muitos anos, acabou ligando o país aos grandes polos industriais do região inteira. América latina.

Gustavo de Oliveira, Presidente do Sistema Federação das Indústrias de Mato Grosso (FIEMT) destaca que a ferrovia, juntamente com outros investimentos, devem atrair mais de R$ 30 bilhões em desenvolvimento econômico para o Estado, isso já nos próximos 10 anos.

Além disso é um marco que trará maior crescimento a várias vertentes do estado e do país.

Durante seu discurso, Gustavo de Oliveira agradeceu ao governador pela coragem de estar mudando a história de Mato Grosso, seguindo em sua fala, o Presidente do FIEMT disse:

“...O senhor pegou um Estado com debilidade financeira, colocou a casa em ordem e já nesse primeiro mandato tem feito muita diferença, primeiro com a sua visão, com as propostas que o senhor traz de novas soluções para problemas muito antigos. Mas, principalmente, pela sua liderança e capacidade de articulação. Gostaria de dizer que, dentro do Programa Mais MT, além dos R$ 10 bilhões investidos pelo Estado, vem muito mais da iniciativa privada. Estimamos que nessa próxima década teremos mais de R$ 30 bilhões em investimentos viabilizados por este programa”

O investimento que ultrapassa os R$ 10 bilhões garantirá 700 km de extensão de malha ferroviária e irá interligar Cuiaá a Rondonópolis, também fazendo ligação de Rondonópolis com Lucas do Rio Verde e Nova Mutum, sem contar a interligação com toda malha ferroviária nacional.

Gerando novos empregos


Uma obra desse porte, além de trazer grande evolução para o Estado e para o pais, conseguirá fomentar os empregos na região. Um levantamento feito pelo Governo do Estado, acredita que a construção da ferrovia irá gerar um total de 235 mil empregos, isso com base na metodologia do BNDS (Banco Nacional de Desenvolvimento Social).

Claro que os novos empregos não são só diretamente ligados a obra e sim contabilizando também os indiretos, sejam eles temporários ou fixos.

A numeração de empregos pode até mesmo ultrapassar a previsão, já que quando se fala de empregos indiretos que uma construção dessas pode gerar, temos grandes variações. De todo modo são números bem expressivos.

A empresa responsável


Ainda não se foi definido quem será a empresa responsável pelos 700 km de extensão, mas muito em breve saberemos, já que o edital está próximo de ser aberto.

As empresas interessadas terão o prazo de 45 dias para apresentar suas propostas e a ganhadora terá 45 anos para operar sob essa malha ferroviária, tendo que investir por volta de R$ 12 bilhões.

Após a emissão da licença ambiental, a obra deverá ser iniciada em até seis meses, mas sabemos que o projeto como um todo demora certo tempo, com isso a previsão de conclusão do primeiro terminal, que ficará em Cuiabá e até o 2º semestre de 2025, já o terminal de Lucas do Rio Verde deve ser finalizado até 2028.

As datas exatas são improváveis, já que realmente é uma obra de porte gigantesco, entretanto antes mesmo do seu início já trará resultados ao estado de Mato Grosso e também gerando empregos e fomentando o mercado, isso com uma previsão de impactar de forma direta 27 municípios de Mato Grosso.