Movimento Slow Living: como ter uma vida mais harmoniosa e ecológica?

Em um mundo moderno, em que temos tudo na ponta dos dedos, muitos buscam desacelerar o passo.

Movimento Slow Living

Você já ouviu falar do movimento slow living? Em um primeiro olhar, nos parece estranho e até mesmo paradoxal que as pessoas estejam buscando desacelerar em uma era em que tudo acontece tão rapidamente.

Mas quando observamos mais atentamente, é exatamente por conta dessa rapidez que nos é exigida nos tempos atuais, e sobretudo pela quantidade de informações que recebemos, que as pessoas passaram a preferir um estilo de vida que preza pela tranquilidade. 

O slow living não é sobre preguiça, mas sobre estar presente nas mesas de conversas com familiares ou amigos com atenção plena, aproveitando aquele momento único.

Ao contrário do que se pensa, o slow living não é algo totalmente novo, tendo origem nos anos 80 com o slow food, em contraposição às redes de fast food que estavam em ascensão na época. Desde então, nossa vida passou por muitas mudanças, e a sensação de pressa cresceu ainda mais.
 
Assim, o movimento slow voltou com tudo. Pensando nisso, separamos algumas dicas para você refletir.

Cultive relações importantes


Reflita sobre as pessoas que você considera importantes na sua vida. Tente lembrar de momentos em que houve conversas profundas e trocas de afeto. 

O slow living preza por atenção às relações, portanto é preciso estar presente na vida das pessoas queridas e fazer questão que elas estejam presentes na sua. Essa presença se dá principalmente pela escuta atenta e pela atenção plena naquele momento que estão vivendo juntos.

Como você usa o seu tempo?


Um primeiro passo para adentrar o universo do slow living é perceber como você usa o seu tempo: como distribui as horas do seu dia e, sobretudo, o que você deseja que ocupe mais ou menos tempo da sua vida.

Quando essa reflexão é feita, alguns hábitos podem ser abandonados, mas lembre-se de que não estamos falando de otimização de tempo, ou seja, de tentar finalizar uma tarefa mais rapidamente para ter mais tempo para começar a próxima. 

Estamos falando sobre ter consciência e dar o próximo passo para ter autonomia sobre o seu próprio tempo.

É importante separar momentos de pausa. Permitir um tempo em que não haja nada a ser feito pode gerar culpa em muitas pessoas, pois a pressa já está internalizada no nosso estilo de vida. 

Mas esses momentos são extremamente importantes, seja para caminhar e contemplar a cidade, ler um livro, refletir sozinho ou até mesmo ouvir uma música. Esse tempo deve ser seu.

Multitasking já saiu de moda


Há pouco tempo uma pessoa que conseguia ser multitarefas e dar conta de todas elas, era extremamente valorizada. Porém, de uns tempos para cá, percebemos que o multitasking não é saudável para nós, levando a sérios problemas de saúde mental como transtornos de ansiedade ou até mesmo um burnout.

O movimento slow living veio substituir o multitasking para que possamos fazer uma tarefa de cada vez, pensando e refletindo sobre elas.

Uma vida offline


Com nossos modernos smartphones, criamos a ânsia de responder todas as mensagens assim que o celular apita, pois precisamos estar online e disponíveis 24 horas.

Para aderir ao movimento slow living, você não precisa abandonar totalmente as suas redes sociais, pois sabemos que muitas vezes elas estão relacionadas a movimentos de descanso ou entretenimento.

Contudo, o movimento preza por uma consciência do tempo passado online e os benefícios de não interromper tarefas importantes que exigem sua presença e atenção plena para responder mensagens ou checar as redes sociais.

Tente deixar o celular em um outro cômodo enquanto lê um livro, ou até mesmo em casa quando for sair com uma pessoa querida. Você verá que nem todos os apitos do celular significaram algo urgente.