4 problemas e doenças que afetam os pets no frio

Aprenda a identificar os sintomas e saiba o que você pode fazer para manter o seu pet saudável durante o inverno.

problemas e doenças que afetam os pets no frio

Nossas avós já diziam: precisamos nos manter quentinhos quando as temperaturas esfriam, se não podemos ficar doentes. Essa regra também vale para os animais, já que eles também ficam mais suscetíveis a alguns problemas de saúde quando está frio.

Nessa época, é ainda mais importante ter uma clínica veterinária para buscar orientações caso seu pet apresente alguma mudança de comportamento e também para manter a vacinação em dia. Você tomou, por exemplo, a vacina da gripe? Pois saiba que o seu cachorro e o seu gato também deveriam.

Apesar de gatos e cachorros terem a temperatura corporal mais alta que a nossa — é por isso que eles são quentinhos —, eles também sentem frio. É por isso que eles procuram lugares aquecidos, como as cobertas, e gostam de sentar em cima dos eletrodomésticos.

A atenção com os animais precisa ser redobrada no inverno, especialmente porque, em muitos lugares do país, essa também é a estação mais seca do ano. Para te ajudar a identificar qualquer problema prematuramente e buscar a melhor ajuda para o seu bichinho, fizemos uma lista com as doenças mais comuns nessa época.

Gripe


A gripe é uma das doenças mais comuns no frio, tanto em cães como em gatos. Os sintomas são parecidos com os nossos: tosse, espirro e secreção nasal. Muitos animais também ficam mais quietos e cansados ou apresentam alteração de apetite.

O tratamento dos sintomas inclui o uso de analgésicos, anti-inflamatórios e antibióticos. Em alguns casos, pode ser recomendado o uso de imunoestimulantes, para que o organismo do animal se fortaleça. Reforçar as vitaminas na alimentação também é uma boa ideia.

Mas o melhor mesmo é a prevenção. A vacina anual para cães e gatos é a melhor forma de fazer isso. É recomendado mantê-los quentinhos e também evitar a aglomeração com outros animais em locais fechados, pois o vírus se espalha mais facilmente assim.

Problemas de pele


O frio e o tempo seco tornam os cães e gatos mais suscetíveis a problemas de pele, já que, apesar da proteção dos pelos, a pele deles é muito mais fina que a nossa. Eles tendem a se incomodar com o ressecamento e se coçar mais, promovendo o contato mais frequente entre fungos e bactérias das unhas com a pele.

A melhor forma de evitar esses problemas é mantendo os animais bem hidratados. E é preciso ficar atento, pois eles tendem a tomar menos água quando está frio. Além disso, não devemos dar menos banhos nos cães porque está frio. A higiene é importante para eliminar os invasores da pele. É só secar bem depois.

Se está frio, os animais também tendem a passar mais tempo expostos ao sol. Mas o excesso de raios solares, especialmente nas horas de iluminação mais intensa, pode causar lesões e deixar a pele ainda mais sensível. Nesse sentido, optar pela proteção das roupinhas é uma boa saída.

Dores nas articulações


Cães e gatos que já sofrem com algum desconforto articular, especialmente os idosos ou obesos, podem ter os casos agravados com o frio. Os quadros inflamatórios costumam piorar porque muitos animais também acabam se exercitando menos.

Ficar atento ao comportamento é essencial para saber se o animal está sofrendo com dores. Em casos mais graves, ele pode precisar da ajuda de anti-inflamatórios e analgésicos para não sofrer tanto.

Mas, em geral, a dica é mantê-los aquecidos. Feche as janelas e providencie roupinhas e cobertinhas nos dias em que a temperatura estiver mais baixa.
 

Problemas respiratórios


O combo frio e tempo seco também pode agravar problemas respiratórios, como bronquite e asma, em cães e gatos. Em geral, o sistema imune dos animais fica enfraquecido nessa época, o que é um convite para os vírus e bactérias invasores do trato respiratório.

Locais fechados e com pouca circulação de ar devem ser evitados quando o pet for ter contato com outros animais, pois o ar é a principal via de contaminação. Protegê-los do frio com roupinhas e providenciar uma caminha quentinha para dormirem também ajuda a prevenir.