Qual a diferença entre café gourmet e café especial?

Saiba quais fatores diferenciam os dois tipos da bebida

Qual a diferença entre café gourmet e café especial

O café é a segunda bebida mais consumida no Brasil, atrás apenas da água, e essa popularidade pode ser explicada facilmente. Afinal, seja para se manter acordado durante a noite, começar o dia com mais energia ou acompanhar um bolinho ou o tradicional pão da tarde, um cafezinho sempre cai bem, não é mesmo?

No entanto, para atender toda essa demanda e agradar a todos os gostos e paladares, diversos tipos de café chegam ao mercado e cabe ao consumidor escolher o que mais lhe agrada. Há, por exemplo, o café gourmet e o café especial, mas você sabe qual é a diferença entre eles?

No meio de tantas variedades, é importante ter conhecimento sobre as particularidades de cada tipo de café para não errar na escolha. Por esse motivo, neste artigo, explicamos o que diferencia um do outro. Continue a leitura e descubra!

Entendendo o processo de maturação do café


Antes de tudo, é preciso ter em mente que o café é uma fruta e, assim como tal, passa por estágios diferentes de maturação. A florada do café aponta o nascimento de novos frutos e, após isso, surgem os chamados chumbinhos, que se desenvolvem até originar os frutos verdes.

Em seguida, aparecem os frutos verdes cana, que são consequência do desenvolvimento desses frutos verdes. O estágio posterior a esse é o fruto cereja, que nada mais é do que o café em seu estado maduro. É nessa etapa que a colheita precisa ser feita, caso contrário o café irá perder a sua qualidade.

Após a realização da colheita, o fruto do café passa pelo processo de pós-colheita. Aqui, o café deve ser secado para perder umidade. Quando a umidade ideal é atingida, entre 11% e 12%, o café será beneficiado.

Na etapa do benefício, o café precisa ter a sua casca removida para que a semente verde do café seja obtida. É essa semente que dá origem ao tradicional café marrom que conhecemos.

Contudo, assim como qualquer outra fruta, o café pode apresentar alguns defeitos, como: grãos verdes, pretos, ardidos, quebrados, brocados, pedaços de casca de café, entre outros.

Esses defeitos podem ser causados por uma série de fatores, como má regulagem na máquina de benefício do café, manejo incorreto durante o processo de colheita, ausência de um processo de re-benefício, entre outros.

Dessa forma, todos esses possíveis defeitos irão refletir na matéria-prima que é utilizada para cada tipo de café oferecido ao consumidor.

Mas, afinal, qual a diferença entre esses dois tipos de café?


Após entender um pouco sobre os defeitos que podem ser encontrados no café, é possível compreender as diferenças entre o café gourmet e o café especial.

O café gourmet é um termo criado pela ABIC (Associação Brasileira da Indústria de Café) para indicar um produto de qualidade superior ao café tradicional que conhecemos.

O gourmet passa por processos de seleção mais cuidadosos da matéria-prima utilizada, preservando mais as características dos grãos, assim como acontece com o café especial.

A realidade é que a diferença mais significativa entre esses dois tipos de café está nos padrões internacionais que o café especial precisa seguir, de acordo com a SCA (Specialty Coffee Association)

Ele passa por uma espécie de protocolo de avaliação sensorial, em que são analisados 10 atributos diferentes, sendo eles: a fragrância, o aroma, a finalização, o corpo, o equilíbrio, a acidez, a ausência de defeitos, a doçura, a uniformidade e o resultado global.

Cada atributo desse recebe uma nota que vai de 1 a 10 e, para ser considerado do tipo especial, o café precisa atingir o mínimo de 80 pontos no somatório total dos atributos avaliados.