Os impactos das “polêmicas” das redes sociais em seu site!

Saiba que as “polêmicas” das redes sociais não passam de mera estratégia para gerar engajamento na rede e em seu site e direcionamento do marketing digital feito nas plataformas!

Os impactos das polêmicas das redes sociais em seu site
Atualmente é raro achar alguém que não esteja cadastrado em ao menos uma rede social, nestes sites podemos manifestar nossas opiniões, ter contato com diferentes pessoas em qualquer lugar do mundo, publicar fotos e vídeos, entre outras manifestações que expõem nossos hábitos, preferências, ideologias e crenças.

Com a publicação de várias informações pessoais, as redes sociais hoje são grandes ferramentas de marketing, pois com a geração de leads as marcas têm a oportunidade de saber exatamente o perfil que querem atingir e conseguem fazer com que seu conteúdo publicitário chegue a quem tem interesse no mesmo. Outra forma de se fazer publicidade em redes sociais é instigando o engajamento dos usuários na sua campanha, para que isso aconteça, as empresas seguem uma tática que facilita esse engajamento.

Como a publicidade engaja pessoas de vários perfis diferentes?


Foram criadas várias redes sociais, nelas são compartilhados vários links, o que motivou a criação de sites e conteúdo de todo o tipo, logo as redes foram se tornado um território muito fértil para o marketing, as marcas entraram de cabeça nessas plataformas e não é difícil encontrarmos campanhas de publicidade nas redes sociais, feitas de várias formas e objetivos. Um modelo muito adotado por empresas é a campanha para conseguir engajamento, assim aparecerá para cada vez mais pessoas.

Uma campanha que quer engajamento tem que instigar o público a engajar na sua publicação e até mesmo criar leads em seu site, um caso muito recorrente é um marketing com assuntos que gerem discussão e tenham, no mínimo, dois extremos opinativos sobre este tema.

Vamos supor que uma marca grande faça uma campanha com algo que tenha um público que abrace a causa, outro que é veementemente contra, e a maioria das pessoas sabem pouco sobre o assunto mas tem o interesse. Essa campanha publicada em uma rede social obteve os seguintes números após 24h no ar:

  • Visualizações: 1.000.000
  • Curtidas: 200.000
  • Comentários: 5.000
  • Comentários negativos: 2.000

Como esses números devem ser interpretados?


Ao olhar todos estes números, fica evidente uma coisa: não há uma grande rejeição ao conteúdo da propaganda.

Com uma conta básica, podemos ver que apenas 20% das pessoas que viram a postagem engajaram com ela, o que já é uma taxa baixa.

A porcentagem de interações que fizeram questão de comentar a publicação, ou seja, quiseram enfatizar seu ponto de vista sobre o que foi passado na postagem, é muito pequena, corresponde a 5% de todas as pessoas que viram a postagem. Já com essa informação podemos cravar que poucas pessoas estão interessadas em manifestar suas opiniões, sejam elas a favor ou contrárias à campanha.

Quando pegamos a porcentagem de comentários negativos é que vemos o tamanho da suposta “rejeição”. Os comentários negativos neste caso correspondem a 2% de toda a audiência da publicação. Mas existe uma explicação para que as pessoas entendam como uma rejeição à postagem.

Portanto, essa suposta polarização entre as pessoas que se depararam com a postagem deste perfil é uma falsa sensação, e isso interfere nas campanhas de marketing digital com esse perfil. Afinal, nenhuma marca quer se associar a um perfil conhecido como “polêmico” e criticado por veículos de comunicação, mesmo que essa “polêmica” não exista, ela já está na mente do espectador.

Como os usuários colaboram com o processo?


É natural do ser humano compartilhar as suas experiências quando elas fogem às suas expectativas iniciais. Quando vamos a um estabelecimento e encontramos exatamente o que queremos e somos bem atendidos, não é habitual comentarmos isso com outras pessoas, muito menos registrar em uma rede social, pois ocorreu tudo dentro do esperado. 

Mas quando vamos a um estabelecimento e algo nos desagrada ou supera nossas expectativas, no mínimo comentamos com alguém, e também podemos registrar o ocorrido. Como é muito mais fácil haver situações que nos surpreendam negativamente, há muito mais registros do que não gostamos do que o contrário.

Nas redes sociais não é diferente. Quando nos deparamos com opiniões ou outras publicações que nos surpreendem, nós fazemos questão de comentar a nossa opinião, e mais uma vez devemos lembrar que é muito mais recorrente a surpresa por motivos negativos do que por motivos positivos.

Retornando ao exemplo da propaganda “polêmica”, quando as pessoas passam por aquilo e sentem vontade de comentar algo sobre o conteúdo da postagem (5% do total) passa a quem está apenas observando o engajamento da publicação a imagem de que estes 5% correspondem a todo o público da postagem, e nestes comentários há a presença de várias pessoas e opiniões diferentes, dando a sensação de “debate” para quem está de fora.

Como as redes sociais fomentam a “polêmica”?


A rede social vive do engajamento de seus usuários, e isso é fomentado de várias formas, uma delas é mexendo com uma opinião polêmica para uma parte das pessoas. Para que sejam engajadas as publicações que não apresentam um consenso popular, as redes sociais usam de técnicas de posicionamento de comentários e sugestões de opiniões para cada “bolha de informação” de usuários.

Você deve estar se perguntando como aqueles míseros 2% são interpretados como uma forte rejeição ao conteúdo postado, e é exatamente agora que justificamos isso.

A propaganda passa uma mensagem, esta mensagem não tem total adesão entre a população. Esta parte que não compactua com a mensagem vai ver a publicação, muitos vão passar, mas muitos vão registrar sua forma de pensar, e é na parte dos comentários que isso se torna possível.

As pessoas que não compactuam com a mensagem da publicação e fazem questão de comentar sua opinião são um número pífio perto do número de pessoas alcançadas pela postagem. Portanto a rede social dá relevância para as opiniões contrárias, deixando-as nas primeiras posições dos comentários da postagem, isso se deve a outro comportamento dos usuários de redes sociais.

O número de pessoas que passaram pela postagem está no número de visualizações, o número de pessoas que apresentaram algum desagrado e fizeram questão de manifestar isso está nos comentários negativos. Esses comentários negativos ganham força sobre os positivos por causa do número de curtidas nestes comentários.

Aí surge a questão “Se são os comentários mais curtidos, existe polêmica”, e esta afirmação está errada. Isso se explica pelo direcionamento e abrangência de cada parte da publicação. As pessoas que não compactuam com o conteúdo da publicação comentaram a sua opinião ou curtiram outro comentário com a sua opinião (comentário negativo). Quem concorda com a publicação deu a sua curtida na própria publicação, no máximo fez um comentário.

Portanto, fica claro que as pessoas que compactuam com a publicação interagiram com curtidas na própria publicação, e quem discorda curtiu o comentário que dizia argumentos contrários, por isso esse comentário ficou em destaque. Isso é bom apenas para as redes sociais e os links divulgados, fazendo com que haja um desenvolvimento cada vez maior dentro da plataforma.

Concluindo, fica evidente que uma avaliação rasa sobre redes sociais tende a estar completamente errada, pois a impressão de que as pessoas reagiram mal à postagem é mentirosa. Poucas pessoas se manifestaram contra a publicação, essas manifestações contrárias à publicação só obtêm destaque para gerar engajamento e leads para as redes sociais e seus links relacionados.

Precisando de Marketing de Conteúdo?


Precisando de conteúdo para seu site? A Projeto Web é uma empresa especialista em criação de site e marketing de conteúdo. Solicite um orçamento de site.