Você é um tutor de primeira viagem? Saiba tudo sobre alimentação para gatos

A ração garante nutrição completa em todas as fases da vida. Dar restos da sua comida não costuma ser uma boa ideia.

Você quer adotar um gatinho ou acabou de fazer isso, mas ainda está perdido com o desencontro de informações sobre a alimentação ideal para o pet? Tenha calma, pois, após ler este texto, tudo vai parecer menos complicado. 


Alimentação para gatos

Para começar, é importante que você saiba que a alimentação com ração é a forma mais prática e segura de garantir que os felinos tenham todas as vitaminas e proteínas que precisam para crescerem fortes e saudáveis.

Contudo, isso não quer dizer que você não pode cozinhar para ele, só não pode ser qualquer comida. Antes de começar a fazer isso, é essencial consultar um especialista, pois uma alimentação inadequada pode causar graves problemas ao seu bichinho. A seguir, você vai entender o porquê. 

Entendendo o organismo dos gatos


Os gatos têm necessidades nutricionais que variam de acordo com a raça, o porte e a idade. Além disso, eles precisam de mais proteínas que a maioria dos outros animais, incluindo os humanos. Um gato adulto deve ingerir 4 gramas de proteína por quilo, enquanto nós precisamos de apenas 0.8 gramas.

Enquanto usamos carboidratos para manter os níveis de glicose do sangue e conseguir energia, os gatos precisam dos aminoácidos encontrados nas proteínas de origem animal para isso.

Os felinos também não produzem a enzima amilase na saliva, por isso, a digestão dos carboidratos é mais difícil para eles. Se consumido em excesso, esse tipo de alimento favorece a obesidade e a diabetes, além de outros problemas do trato digestivo.

Outro fator que precisa ser levado em consideração na hora de planejar a dieta de um gato é que eles não sintetizam a vitamina D dos raios solares como nós fazemos. Isso porque os felinos são, naturalmente, caçadores e encontram essa vitamina em suas presas. Se eles não caçam, precisam ingerir essa vitamina de outra forma.

Além disso, os gatos são animais sensíveis, desenvolvendo intolerância e alergias a vários alimentos. Apesar de o senso comum dizer o contrário, o leite de vaca não é recomendado para os felinos, pois muitos são intolerantes à lactose.

Isso sem falar que as nossas comidas são muito condimentadas para o organismo de quase todos os animais domésticos. Alho, cebola, especiarias e excesso de sal não fazem bem para eles. Ou seja, mesmo que você decida cozinhar para o pet, vai precisar fazer isso separadamente. 

Escolhendo a ração certa


Achou muito complicado fazer a comida do gato e quer escolher uma ração? Pois saiba que existe uma variedade imensa de sabores, texturas e tipos de ração no mercado. Basicamente, o sabor e a textura vão depender do paladar do seu gato, então, é uma boa ideia testar algumas para ver com qual ele se adapta melhor.

Quanto à escolha de uma ração seca ou úmida, em sachês ou latas, saiba que os dois tipos costumam ser nutricionalmente completos. A diferença é que as úmidas também ajudam a manter a hidratação dos felinos, sendo mais apetitosas, porém estragam rápido e custam mais caro.

Uma boa saída pode ser investir em uma ração seca standard ou premium, fabricada com alimentos de melhor qualidade e valor nutricional, complementando a alimentação com um sachê por dia. Além de mais acessível, a ração seca dura bastante tempo e ainda evita o tártaro.

Também é importante saber que não é recomendado oferecer ração à vontade para os gatos, porque eles podem comer demais e ficar obesos. O rótulo da embalagem do alimento escolhido indica a quantidade recomendada diariamente. O ideal é que você a divida em pequenas porções ao longo do dia.

Para finalizar, vale lembrar que os petiscos são um mimo e não devem ser oferecidos em excesso, ok?