Ração úmida ou comida enlatada? Saiba as principais diferenças

Se usada com moderação, o alimento pode até ser benéfico para a saúde do pet.

Não tem jeito: basta começar a comer qualquer coisa do lado dos pets que eles chegam com cara de quem quer um pedaço e muitos tutores acabam se sensibilizando diante do olhar de gula do animal. 

Ração úmida ou comida enlatada

A atitude, apesar de repleta de carinho e boa intenção, pode ser prejudicial para a saúde de cães e gatos, uma vez que seu organismo não digere os nutrientes da mesma maneira que o nosso e alguns ingredientes podem até fazer mal.

A ração ainda é o alimento mais indicado para alimentar os pets, uma vez que é desenvolvida para atender a todas as suas necessidades nutricionais. Pode parecer sem graça, mas o sabor e textura do alimento são do agrado dos animais.

Diante de tantas opções no mercado, muitos tutores também ficam em dúvida se devem optar pela ração úmida ou pela comida enlatada para alimentar o seu amigo de quatro patas.

Você sabe qual é a diferença e quais são os benefícios desse tipo de ração? Continue a leitura para saber mais! 

Pode ser bom


Não existe resposta certa, o tutor deve considerar idade, tamanho, raça e condição de saúde do pet antes de escolher qual será a ração ofertada no dia a dia. Uma coisa é certa: animais que estão perdendo os dentes, seja pela idade, seja por problemas bucais, têm mais dificuldade em se alimentar com ração seca.

A ração úmida e a comida enlatada acabam se mostrando boas opções para ajudar a compor a dieta. Aqueles que sofrem de problemas renais também se beneficiam, uma vez que a ração úmida é mais rica em água.

Atente-se ao rótulo


Um ponto de atenção é o tutor ler o rótulo atentamente antes de comprar o produto. Os ingredientes são listados da maior para a menor quantidade do que contém no produto.

Logo, os que começam com proteínas nobres são melhores daqueles que levam amidos e gorduras como maior parte dos ingredientes. De qualquer forma, a ração úmida pode ser bastante gordurosa e favorecer a obesidade nos pets.

Se o seu amiguinho peludo é sedentário ou de uma raça que tende ao sobrepeso, não significa que ele não possa consumir esse tipo de ração. Ela pode ser oferecida ao bichinho de maneira esporádica ou como um agrado em ocasiões especiais.

Também se atente à quantidade de sal e açúcar do produto, uma vez que esses ingredientes não fazem bem nem mesmo para os humanos. Se consumidos em demasia, podem prejudicar a saúde de cães e gatos também. 

Foco na saúde bucal


Por ser mais pegajosa, a ração úmida e a comida enlatada favorecem o aparecimento de problemas bucais, como acúmulo de placa bacteriana e tártaro, cárie e infecções de gengiva que ainda podem causar dor e perda dentária.

Se o animal de estimação tiver uma dieta rica desse alimento, então vale a pena o tutor investir numa boa higienização bucal diária em casa e quinzenal ou mensal na clínica veterinária.

Cuidar dos dentes do pet não é uma frescura ou um hábito meramente estético. É questão de saúde, uma vez que a infecção bucal pode se espalhar para outros órgãos, colocando em risco a vida do seu amigo. Se houver qualquer dúvida, consulte o médico-veterinário. 

Úmida ou enlatada?


Por fim, é importante destacar que não há diferença entre elas, a não ser a embalagem em que o produto é comercializado — sachê ou lata. Cabe ao tutor escolher o meio que mais se adapta ao seu estilo de vida e preferência, e investir em boas marcas para garantir a saúde e nutrição do pet.

De maneira geral, os animais não enjoam da ração, como muitos tutores pensam. Pelo contrário: mudanças podem ser mal recebidas por eles. Se o seu bichinho só consome comida seca, ofereça a úmida aos poucos para ver como ele reage e faça a alteração de forma gradativa.